NOVO ANO .Não prometa nada.



POEMA EM LINHA RETA
(Álvaro de Campos)
Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo. 

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo.
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
...
                                                              
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo. 

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...


Ó principes, meus irmãos, 

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo? 
...
Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra? 
 

Por que prometer algo a si na virada de ano?Melhor é assumir-se e, aos poucos ,ir aprendendo com seus erros,talhando-se na própria superação.Por que se preocupar com o olhar altivo,repressor,intimidante de outros se o que o outro pensa a seu respeito não está na sua esfera de pensamento,mas dele,do outro.(Arthur Schopenhauer).O poema acima,de Fernando Pessoa,  é recitado pela personagem Luiza no livro Retalhos de Almas da escritora Sena Siqueira.A personagem se sente um peixe fora da água e então recita este poema.Quantos de nós já não nos sentimos assim?
Acostume-se .É assim que a vida funciona.Vivemos na chamada Pós-Modernidade.Época de  individualidade,consumismo,do relativo,da informação e massificação.Então a maioria das pessoas não estão nem preocupadas com o próximo,com o que você sente,passa,sofre ou não sofre.No entanto há,ainda,espaço para espiritos livres.Aquele que faz a sua parte lutando por uma sociedade melhor,equilibrada,onde a injustiça é mínima.Como disse em outra postagem devemos lutar para que o futuro seja sempre melhor do que o hoje.E tem sido.Há fome,há,mas muito menos do que há cinquenta anos atrás.Há miséria,há,mas muito menos.Tem melhorado,mas se não cuidarmos do individuo pode piorar.Como tem sido a educação de nossos filhos em família?Como tem sido a educação escolar?O que ensinamos aos nossos jovens a cada dia.  Como já disseram  "As palavras convencem,mas só os exemplos arrastam".
Estamos tão preocupados em ter e mostrar que nos esquecemos dos que estão se desenvolvendo à nossa sombra,as crianças.Esforçamo-nos por agradar as pessoas,a mostrar que fazemos parte do grupo, de lhe dizer que compartilhamos os mesmos gostos e desejos e que somos iguais a eles.Não somos iguais.Cada homem é uma existência unica pelas características que lhe são inerentes e intransferíveis.Quando agradamos a todos negamos a nós o direito de objetar, de se posicionar ,de se fazer crescer como individuo,seremos exemplos do mesmo,congelamos a  mudança ,delegamos a outros a função de pensar e agir por nós.
Por fim um trecho de um sermão do célebre Pe.Antônio Vieira : Memento homo,quia pulvis es,et in pulverem reverteris,lembra-te que és pó e em pó te hás de tornar.Naquelas sepulturas,ou abertas,ou cerradas,o estão vendo os olhos.Que dizem aquelas letras?Que cobrem aquelas pedras?As letras dizem pó, as pedras cobrem pó,e tudo o que ali há,é o nada que havemos de ser: Tudo pó.
         
Feliz novo ano

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Sobre este blog