Propostas para a educação.

          Por enquanto muito se fala em Segurança Pública, em pré-sal , em bolsa  disso e daquilo, mas em Educação pouco ou nada se discute. O Brasil tem indices piorados ao longo dos anos. O estado Brasileiro tem até conseguido colocar a mulecada na escola, no entanto quando se refere à qualidade há um retrocesso. Basta ver os índices que avaliam a educação Brasil a fora e veremos quão péssimo esta a escolarização de nossos estudantes. E isto se dá em todas as etapas, do fundamental à faculdade. 
         Nosso país, agora que encontrou o caminho da estabilidade econômica e política, precisa recriar sua "escola", o país precisa de cientistas, pesquisadores, técnicos de ponta, engenheiros, enfim, individuos com alta capacidade técnica-cientifica para que possamos produzir tecnologia e ciência própria. Um país de primeiro mundo precisa dominar certas tecnologias e conhecimentos para que possa ser competitivo no exterior, e o nosso país ainda está longe disso.
           Vejamos este pequeno trecho de um artigo de Eliseu dos Santos Lima:

A "QUALIDADE" DA EDUCAÇÃO DO BRASIL

Como está a qualidade da educação no Brasil? Este questionamento sobre a presente discussão já vem sendo realizado há bastante tempo por vários teóricos, através da análise de dados coletados por alguns órgãos do nosso país.
Com base nos dados do Saeb² divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep (2007) durante um período de dez anos (1995 a 2005) foi analisado o desempenho de alunos tanto do setor público como do particular. Esses dados revelam que ao longo da história, a educação no Brasil vem passando por sérios problemas, dentre eles, percebe-se uma regressão em seu sistema, pois, diante do que se pode observar, baseado nos dados coletados pela PNAD³, a cada ano os índices educacionais pioram, a taxa de repetência aumenta, e como conseqüência, nota-se um grande salto nos números da evasão escolar. No que diz respeito à "qualidade", é muito fácil de responder, e, diante dos dados supracitados, leva-nos a conclusão que é de péssimo estado, e vem piorando ano após ano. Com a implantação de 200 dias letivos houve um maior agravamento no nível de desempenho por parte dos educandos, pois o que faz o aluno aprender não é a quantidade de dias ou horas que ele passa na escola, mas sim, a qualidade do conteúdo que está sendo aplicado durante esse período.


Fonte: http://www.webartigos.com/articles/34891/1/A-QUALIDADE-DA-EDUCACAO-DO-BRASIL-ESCOLA-PUBLICA-X-ESCOLA-PARTICULAR/pagina1.html#ixzz16sOIGwhz
Comento

Qualidade so ensino, eis a palavra chave. O que há de pior no ensino público não é a falta de vagas para os educandos, é a qualidade, o ensino medíocre, que em muitos casos se apega a questões ideológicas e se esquece de levar o aluno a pensar corretamente, de ser um investigador, um pesquisador. 
Aguardemos o que virá após o dia 1º de Janeiro. Espero que nesse quatro anos de mandato da Srª Dilma, ela não politize a educação e nem a deixe no limbo.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Sobre este blog