Cidadania Histórica



Cai, orvalho de sangue do escravo,
Cai,orvalho, na face do algoz.
Cresce,cresce,seara vermelha,
Cresce,cresce,vingança feroz.

A partir de uma estrofe do célebre poema Os Escravos de Castro Alves inicio as postagens,onde juntos,eu e os nobres leitores/blogueiros, construiremos aqui neste espaço uma visão crítica da sociedade brasileira .O poema em questão apesar de sua temporalidade se situar no século XIX, podemos tê-lo, metaforicamente,com a realidade vivida hodierna pela sociedade periférica brasileira.Bosi em sua obra História concisa da Literatura Brasileira coloca que "A sua estréia(A do poeta Castro Alves) coincide com o amadurecer de uma situação nova: a crise do Brasil puramente rural;o lento mas firme crescimento da cultura urbana, dos ideais democráticos e , portanto, o despontar de uma repulsa pela moral do senhor-e-escravo, que poluía as fontes da vida familiar e social no Brasil-Império."Esse era o momento histórico daquele período: a luta pela cidadania dos escravos e que ,não se encerrou com a abolição da escravutura ,aliás ouso dizer que ali se iniciou todo uma ideologia na busca da construção de uma identidade própria do povo brasileiro e para a formação do ideário da cidadania que se consolida em 1988 com a promulgação da carta cidadã.
A busca pela preservação e consolidação dos direitos e garantias fundamentais do homem não se encerra apenas na produção legiferante.A manutenção e permanência destes como cláusulas pétreas do ordenamento em prol do cidadão passa por suplantar óbices como interesses econômicos,grupos conservadores e elitistas e a compreensão, elucidação e superação dos preconceitos que permeam a sociedade. A escravidão não era apenas uma prática desumana,era parte inerente do sistema mercantilista e acumulador de capitais.Era sustentado por teorias cientifícas que vislumbravam os nativos africanos como animais inferiores.Era corroborado pela igreja. Então vejam que não é o simples desejo de mudar que fazem as coisas acontecer.É um projeto gradual que deságua na transformação da sociedade,revolve interesses ,e traz resultados a longo prazo.
Nosso país tem se tornado uma democracia a duras penas.Mas não pensem que os escândalos são ruins ,não .Servem de alerta para fiscalizar,delatar e reconstruir ou reformar nossas instituições e nossos posicionamentos.
Como nos versos acima a seara vermelha cresce,cresce.A cidadania é feita a sangue,suor e lágrimas.É construida a cada dia,reconstruida,reformada,reformulada e,muitas vezes,derrubada,mas não destronada porque está em cada homem o desejo de ser um ente preservado em sua inteireza social.

Abraços a todos

Roner Gama

Frases literárias.

Acabei de lê, na verdade uma releitura, do livro HELENA e também o ALIENISTA, ambos do grande Machado de Assis. Cada leitura nos traz algo novo, uma frase , uma contexto diferente , enfim ler Machado de Assis é sempre uma "descoberta" um desenvolvimento da inspiração literária. Cito aqui algumas frases "célebres" de ambos os livros.
Roner Gama

 HELENA 
 "O ideal reconciliava-se com o real." 
 "alguma coisa é preciso sacrificar, e do sacrifício recíproco é que nasce a felicidade doméstica."
 "o melhor modo de viver em paz é nutrir o amor-próprio dos outros com pedaços do nosso." 
 " as dores alheias fazem lembrar as próprias, e são um corretivo da alegria, cujo excesso pode engendrar o orgulho.
 "Não se deliberam sentimentos."
 " O obscuro favorece a lenda" "O essencial não é fazer muita coisa no menor prazo; é fazer muita coisa aprazível ou útil."
 " A prece é a escada misteriosa de Jacó: por ela sobem os pensamentos ao céu; por ela descem as divinas consolações."
 " A reflexão de um corrigirá a violência do outro."

O ALIENISTA

" a indôle natural da ciência é a longanimidade."
" a razão é o perfeito equilíbrio de todas as faculdades; fora daí, insânia e só insânia."
" Bastilha da razão humana"
"Turbilhão de átomos dispersos."
"era a vertigem das grandes crises." 

Seguidores

Sobre este blog