More aos 88 anos o ator e diretor Sérgio Britto

Sergio Britto era um dos construtores do moderno teatro brasileiro, com a criação do Grande Teatro Tupi. Em entrevista ao Correio Braziliense em junho de 2009, Sérgio Britto, que na época tinha 86 anos, estava cheio de vigor e vida. Um vulcão, como ele definiu durante a reportagem. Nos últimos tempos, havia emendado projetos com linguagens e dramaturgias diferentes, numa produtividade impressionante. De 2002 até 2009, fez o exímio Longa jornada dia e noite adentro (do norte-americano Eugene O%u2019Neill), As pequenas raposas (da norte-americana Lilian Helman), Sergio 80 (monólogo do carioca Domingos de Oliveira), Outono e inverno (do sueco Lars Norén) e Jung e eu (também de Domingos Oliveira). 



COMENTO 
Perdemos uma referência do nosso teatro. Sérgio Brito não se destacou apenas por suas qualidade artíticas inquestionáveis, mas pela pessoa que era: perspicaz, inteligente, de linguagem agradável e culta, mas nunca rebuscada. Era uma espécie de ator pesquisador, não era o ator que apenas interpretava, era o ator que conhecia o que interpretava e do que falava. Adeus grande ator.

Roner Gama  



0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Sobre este blog