A doce alegria de viver.

Viver não é tormento, de modo algum.Viver é caminhar . Por obvio aparece alguns obstáculos neste caminho, já estavam lá, em outros momentos criamos estes obstáculos.
Alguns param diante do obstáculo e esperam que alguém o remova. Outros de maneira eficiente superam o obstáculo.Há também os tropeços, natural, pois a caminhada é longa.
Ah, Gonzaguinha como fostes feliz em perguntar o que é a vida:

E a vida!
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida
De um coração
Ela é uma doce ilusão

E eu aqui tentanto expressar o que é a vida. Creio que algumas palavras podem defini-la mais ou menos: caminhada, disputa, luta, passeio, vivência.Estou chato hoje, chega.

Roner Gama

Escrever, Humildade, Técnica


Essa incapacidade de atingir, de entender, é que faz com que eu, por instinto de... de quê? procure um modo de falar que me leve mais depressa ao entendimento. Esse modo, esse "estilo" (!), já foi chamado de várias coisas, mas não do que realmente e apenas é: uma procura humilde. Nunca tive um só problema de expressão, meu problema é muito mais grave: é o de concepção. Quando falo em "humildade" refiro-me à humildade no sentido cristão (como ideal a poder ser alcançado ou não); refiro-me à humildade que vem da plena consciência de se ser realmente incapaz. E refiro-me à humildade como técnica. Virgem Maria, até eu mesma me assustei com minha falta de pudor; mas é que não é. Humildade com técnica é o seguinte: só se aproximando com humildade da coisa é que ela não escapa totalmente. Descobri este tipo de humildade, o que não deixa de ser uma forma engraçada de orgulho. Orgulho não é pecado, pelo menos não grave: orgulho é coisa infantil em que se cai como se cai em gulodice. Só que orgulho tem a enorme desvantagem de ser um erro grave, com todo o atraso que erro dá à vida, faz perder muito tempo.

Clarice Lispector (do livro "A Descoberta do Mundo")

Aspirar, querer, desejar

Aspiro à volúpia das volúpias
O desejo mais grande que o meu usual desejo
Desejo, desejado, desajeitado, tímido, acanhado.
Quero-o quente, a vontade como como combustível, até me consumir
e me desfalecer de tanto desejar.
Que outro motivo nos move tanto senão
a vontade, o desejo, o prazer?
Qual o meu prazer? Qual o seu prazer?
O meu prazer é a vontade de construir,
de inovar, de realizar, de me fazer ouvir




Roner Gama













Seguidores

Sobre este blog