MARIZA- AS MENINAS DOS MEUS OLHOS

TAGUATINGA AGUARDA OBRAS.

Na semana passada foi anunciado que Taguatinga teria mais de 50 obras e que "seria investidos R$ 17,2 milhões, sendo R$ 12,2 milhões de recursos da Secretaria de Obras e R$ 5 milhões da Administração de Taguatinga. As obras fazem parte do pacote de mais de 300 obras no DF." Bom, até agora não vi nenhuma dessas obras sendo iniciada.
Aliás, a cidade está precisando não apenas de obras, mas de fiscalização de trânsito, fiscalização da AGEFIS(orgão de fiscalização do GDF) nos milhares de bares e quiosques que funcionam madrugada adentro importunando a vizinhança com a barulheira.

Poemas de João Cabral de Melo Neto


1.
Toda a manhã consumida
como um sol imóvel
diante da folha em branco:
princípio do mundo, lua nova.
Já não podias desenhar
sequer uma linha;
um nome, sequer uma flor
desabrochava no verão da mesa:
nem no meio-dia iluminado,
cada dia comprado,
do papel, que pode aceitar,
contudo, qualquer mundo.
2.
A noite inteira o poeta
em sua mesa, tentando
salvar da morte os monstros
germinados em seu tinteiro.
Monstros, bichos, fantasmas
de palavras, circulando,
urinando sobre o papel,
sujando-o com seu carvão.
Carvão de lápis, carvão
da idéia fixa, carvão
da emoção extinta, carvão
consumido nos sonhos.
3.
A luta branca sobre o papel
que o poeta evita,
luta branca onde corre o sangue
de suas veias de água salgada.
A física do susto percebida
entre os gestos diários;
susto das coisas jamais pousadas
porém imóveis - naturezas vivas.
E as vinte palavras recolhidas
as águas salgadas do poeta
e de que se servirá o poeta
em sua máquina útil.
Vinte palavras sempre as mesmas
de que conhece o funcionamento,
a evaporação, a densidade
menor que a do ar

Seguidores

Sobre este blog